FANDOM


Noite do Lobo
MDF Prólogo I
Nome Noite do Lobo
Escrito por Wizero
Data de lançamento 13/07/2014
Simsérie Magia de Família

Cronologia
Capítulo Anterior N/A
Próximo Capítulo Capítulo 1 - A Magia é Uma Arte de Família
Mudou-se

Propriedade

Magia de Família - Prólogo: Noite do Lobo é de propriedade de Wizero. A menos que a edição seja construtiva ou de poucos detalhes, peça permissão ao autor para editar a página.

Noite do Lobo

Dia de Neve

O dia amanheceu... Nevado. Era dia de neve. Escola fechada. Trabalhos fechados. Apenas umas lojinhas aqui e a ali estavam abertas no Distrito Residencial de Enseada Belladona. No Distrito Comercial, muitas coisas estavam fechadas, e no Distrito Noturno, tinha muita festa... De noite. De manhã, tudo trancado. Eu, Tio Jay, Apolo e Diana descemos as escadas da casa. A Planta-Vaca ficou contente em me ver...

AH! Que falta de educação a minha... Quem sou eu? Eu sou Aria Gerhardt, a Bruxa. Nada mais, por que eu não sou boa, nem má... O quê não quer dizer que eu não posso usar uns feitiçozinhos bons e maus de vez em quando

Não tinha acabado de amanhecer, só que não era tão tarde. Eu parei, andei e fiquei em pé diante do túmulo de Lucy Gerhardt. A minha mãe. A grande Líder do Culto, que liderou uma grande legião de Magos Neutros contra os Bruxos Bons, que queriam depôr a família Matilda, que estava sob o comando dos Bruxos Maléficos a séculos. Ela queria manter o equilíbrio, e foi presa por isso. Eu era uma criança, e Apolo e Diana ainda eram bebês, quando ela foi Purificada. Ela nunca se recuperou disso. Enlouqueceu aos poucos, e, depois que Louis, meu irmão menor, nasceu, ela meio que ficou doida, e gritava coisas loucas do nada, como “Esses são os pecados e os seus pecadores” e “Eles estão vindo. Eles já chegaram”. Ela tinha surtos a noite com pesadelos horríveis e os vizinhos do outro lado do corredor do apartamento chamavam ela de louca. E um dia, eu fui pra escola com o meu pai, pra reunião, e a minha avó tinha saído e levado Apolo e Diana. E quando eu voltei com o meu pai, Louis estava dormindo no berço, e ela, tava morta na sala. Cheia de plasma ao redor, mas sem nenhuma ferida. E ela ainda tinha desenhado com o plasma dela por toda a casa. Unicórnios, dragões, fadas... E tinha escrito todas as loucuras que foram ditas por ela, antes de se matar com um feitiços

E isso é o suficiente pra levar qualquer criança a um trauma profundo. Só que eu fui salva pela minha aspiração. A minha vontade ser poupular não me deixou cair nesse momento. E então nos mudamos pra casa de uma antiga amiga da minha avó, a mãe da atriz Evangeline Valentine, Twyla Valentine, havia sido grande amiga da minha avó, e deu pra ela uma mansão gigante na Área Rica do Distrito Residencial. E lá, eu superei isso. Claro, com dificuldade, mas superei. E agora, vejo todos os dias o túmulo dela. E penso: O quê aconteceu naquele Palácio, na Terra dos Magos. O quê fizeram a ela naquela purificação pra que ela ficasse nesse estado de fragilidade. Eu acho que eu nunca vou saber ao certo

Mas, vamos voltar ao dia lindo que está hoje, cheio de neve, neve e mais neve. O Tio Jay estava brincando com a Morgana com um graveto, e o Apolo estava prestes a começar uma Guerra de Bolas de Neve com a Diana.

- Irmã linda – disse Apolo

- O quê é que você quer?

- Olha só isso! Um OVNI!

- O quê? Aonde?

- Nessa bola de neve?

A bola bateu na cara dela. Diana, então, levantou a mão e uma bola de neve gigante se formou, e foi teleguiada e bateu nele com tanta força que ele foi jogado contra a parede externa da casa. Eles, então, começaram uma guerra de bolas de neve mágicas.

- O dia tá muito bonito – Eu disse – Vou ligar pra Tara. Talvez ela queira dar uma saída e fazer umas compras!

De repente, uma mulher em roupas esportivas veio correndo (Não correndo rápido, do jeito padrão, mas corrida de caminhar. Sabe? Quando as pessoas malham e vão caminhar, só que na verdade andam rapidinho?) e parou na frente do Tio Jay

- Valéria? - perguntou o Tio Jay

- Oi, Lobinho!

Eles começaram a se beijar, e Morgana ficou olhando. Então, os olhos dela ficaram mais negros e o pelo começou a escurecer e a se ouriçar. Eles ficaram tão em pé que viraram espinhos. Eu fui correndo, e, equanto eles estavam de olhos fechados no amasso, toquei nela e ela voltou ao normal

- Calma, garota. Ela tem permissão de ficar aqui!

Morgana fez que sim com a cabeça e foi correndo pros gêmeos, e eu voltei pro lugar de antes. Eu ia dar comida a Planta-Vaca, quando percibi que ela tinha posto aquele bolo maldito pra fora

Ah não, pensei, De novo não!

- Olha. Que bolo gostoso – disse Valéria, subindo a escada

Jay olhou. Ele sabia o quê iria acontecer, só que nem ligou. E, que o Observador me perdoe, mas eu também não

Ela se aproximou olhou o bolo, lambeu os beiços com a língua e foi colocar a mão, só que a Laganaphyllis Simnovorii engoliu o bolo e se virou para trás. Ela abraçou a Planta-Vaca e cheogu perto da boca, só que ela a empurrou para o chão e mostrou o bolo de novo. Valéria, então, pulou em cima do bolo e a Planta-Vaca a agarrou

- HAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! ME SOLTA SUA...

- ROOOOOOOOOOO!

Com só uma mordida, ela virou adubo de planta

Ajuda Mágica

Eu voltei do meu passeio com Tara DeBartô rapidinho, e já havia escurecido. A vovó Sophia apareceu na porta e me mandou um beijinho

- Venha logo, Aria. O Jantar está quase pronto

- Certo, Vó!

O Tio Jay havia voltado com o carro também. Provavelmente foi se encontrar com uma das “amiguinhas” dele, e estava subindo as escadas. Eu parei na frente da Planta-Vaca e, sem pensar duas vezes, extrai o leite da vida. Eu me arrependi disso? Claro que não. Tudo pela boa genética. Bebi o leite e me senti mais jovem. Joguei o copo fora, acabando com as provas do crime, e me juntei aos Gêmeos vendo TV.

- Isso tá muito chato! Quero fazer algo mais divertido! - disse Diana – E não só ver TV

- Podemos sair – disse Apolo

- Precisam de permissão do Papai, e com certeza ele não vai dar – disse Aria

- Que tal o Tio Jay?

- Já são quase 20:00. Deviamos ter pedido antes. Agora não temos mais tempo

- Ser um Licantropo não faz ele perder a direção de carros

- Mas faz ele cheirar as pessoas, o quê é envergonhante

- Isso é verdade! - disse Diana

- Mas que horas são? - perguntou Apolo

- AAAAAAAAAAAAAAAAUUUUUUUUUUUUUU!

- 20:00 – disse Aria

Na Sala Central, aonde ficam as Escadas em Espiral, Jay uivava e gemia. Um brilho dourado o envolveu, e, com uma explossão de luz, ele se transformou em um ser peludo

- Jantar pronto! Venham todos! Já botei a comida pra você, Morgana!

- WOOF!

Morgana subiu as escadas correndo. Todos nós nos sentamos na mesa, e o papai ficou furioso de ter que sentar perto do Tio Jay. Mesmo irmãos, eles tem um péssimo relacionamento familiar

- Lagosta a Termidor! - disse Sophia

- Quer dizer Lagosta a Queimador, não é? Esse troço da preto de tão queimado! - disse Apolo

- Eu acho que a Lagosta morreu enquanto fritava! - disse Diana

Todos riram, mas a Vovó não gostou

- Chega de graçinhas, e comam logo!

- Certo – Eu disse

- E então, Aria... - disse Clyde – Viu o quê eu te pedi?

- Claro, pai. Ela falou que amanhã não pode, mas, se possível, podemos marcar uma consulta para a semana que vêm

- Do quê estão falando? - pergunou o Tio Jay, com uma voz mais grossa e rouca

- Sobre uma... - o Papai pensou bem ao falar – Adestradora de Animais

- Vão ensinar truques pra Morgana? Achei que um Familiar tivesse isso no pacote de contrato

- Não é pra Morgana – disse Clyde – É pra você

- O quê você disse?

- Vai começar... - disse Diana

- Você ouviu bem, sua aberração canina. Ela vem aqui pra adestrar você a parar de mijar na cama

- Eu acho que esse é você

- Vem cá, você não se cansa de ser um bicho peludo e selvagem todas as noites

- As garotas gostam. Devia tentar

- Eu só amei uma mulher na minha vida

- Só que Lucy já morreu. Talvez seguir em frente seja preciso, você não acha, Clyde?

- Não acho não, irmão. A Adestradora vai vir aqui e injetar um pouco de Licantropocilina B em você, e exterminar as Células Licantrópicas

- Nunca! - gritou Jay, se levantando

- Vai sim! - O meu pai se levantou também

- Que droga – Eu disse

- HAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

Eles pularam um em cima do outro e começar a se atacar no chão. Diana e Apolo se levantaram e começaram a gritar e a torcer. Vovó Sophia recolheu os pratos calmamente, e eu estava impressionada com isso. A luta continou, até que, quando o Tio Jay pulou nas costas do meu pai, os dentes afiados morderam o ombro dele com força, e o papai soltou um grito. Um brilho encheu o lugar, e, quando a luta acabou, o papai estava caído no chão, como um lobisomem

- AH NÃO! - Eu disse

Tio Jay deu a volta e veio até mim

- Que loucura foi essa? Você transformou o meu pai em um Lobisomem! O quê ele mais temia. Ele mal gosta de ser bruxo. Quanto menos um híbrido!

- Certo! Certo! Eu vou resolver!

- Como?

- Haaaaa... Beeeeem...

- Ah tá! Pensei!

- NÃAAAAAAAAAAAAAAAAAAAOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

- Calma, pai!

- Calma? Olhe pra mim, Aria! Olhe pra mim! Eu sou uma fera peluda e babaca!

- O quê? - gritou o Tio Jay

- Acalmem-se, os dois! Vamos resolver isso! Vovó!

- Desculpe, mas uma cura de Licantropia está além das minha habilidades. Terão que achar alguém capaz!

- Certo! Certo! - disse Aria – Que tal... Alberta! Fábia Alberta! Ela é a Dama de Branco. A líder de todos os Bruxos e Bruxas da Luz! Tem as habilidades máximas que isso lhe confere! Talvez ela saiba algum feitiço, encantamento ou ritual pra que o meu pai seja curado da Licantropia

- Que tal Licantropocilina B? - perguntou o Tio Jay

- Isso foi uma piada! - disse Clyde – A Adestradora é pra Morgana!

- Ouch...

- É! Ouch!

- Calma! Já sabemos o que deve ser feito! Vamos ver Fábia Alberta!

- Okay! Entrem no carro! No meu carro! - disse Clyde

Assim que entramos no carro, o papai ligou a chave, falou algumas palavras e as chamas negras desenhadas na frente dele engoliram o carro

- HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! - Gritamos eu e o Tio Jay

O Carro foi como um meteoro negro, envolto, obviamente, em chamas negras. Rápido demais. Até que o mundo sumiu e havia apenas a pista. Indo até o infinito. Até que ela começou a desabar no nada, e uma cidade surgiu com estrelas por todo o lugar. Só que nem deu pra ver direito, por que paramos na frente de uma construção em lugar nenhum. Um Castelo Branco

- Bem-Vindos ao Palácio da Luz Infinita – disse o Papai

- Tô com dor de barriga! - disse o Tio Jay

Corremos pra dentro, e paramos na frente de um grande tablado, com um grande e majestoso Trono Branco

- Olá – disse uma mulher, de pé atrás do Trono branco – Em quê eu posso ajudar... ARIA!

- CATARINA!

- Oi, amiga!

Demos um Beijinho, Beijinho e nos viramos uma pra outra

- Há quanto tempo! Não te vejo em lugar nenhum – disse Catarina

- Nem eu te vejo! E então? Boas novas – perguntei

- Tô namorando

- Aí! Que bom!

- AHAM! - disse o papai – Aria...

- Ah! É claro – Eu disse – Catarina, sabe aonde está Fábia Alberta?

- A Srta. Alberta saiu de viagem faz três dias. Vai ficar uma semana fora. Deve voltar no Domingo à noite, por enquanto, eu sou a substituta dela!

- Certo... Preciso de uma cura para a Licantropia. Meu Tio e meu Pai brigaram e o meu Tio Jay transformou o meu pai em um lobisomem sem querer. E o meu pai quer a cura!

Ela desceu do tablado e chegou perto do meu pai

- A magia faz muitas coisas, só que a certas coisas que a magia não consegue fazer. Ressuscitar os mortos em um estado perfeito e curar pessoas de doenças antigas e poderosas são algumas dessas coisas. Apenas um evento mágico pode curar você

- Qual?

- A Passagem do Sol Negro é um evento que ocorre de cem em cem anos. Se o espaço de ritual for montado de forma correta, durante o Eclipse, a energia mágica será puxada e ira curar qualquer anormalidade ou doença

- E quando isso vai ocorrer?

- Bem, foi ano passado. Quer dizer que... Huuum... Daqui a 99 anos

- HAAAAAAAAAAAAA! Que inútil! Vamos voltar, Aria! Não achamos nada aqui!

Noites de Cão

Passamos em vários lugares, e em nenhum deles achamos o que queriamos. Estavamos sem opções óbvias, e isso me irritava profundamente. Até que voltamos pra casa as 2:00 da manhã, sem resultado. Eu entrei em casa com o Tio Jay enquanto o papai se lamentava lá fora

- E então? - perguntou a vovó

- Não conseguimos nada!

- Que droga! - gritava o papai – Eu vou ser um bicho feio pra sempre!

- Garoto ridículo! - disse uma mulher vestida com roupas estranhas passando pela rua – Ele queria um par perfeito! Eu achei!

- Quem é você? - perguntou Clyde

- Eu sou Valquíria Riley, só que muitos me conheçem por Cigana Casamenteira

- Prazer. Eu sou o Sim menos sortudo mundo!

- Por quê?

- Meu irmão me transformou em um Lobisomem feio!

Ela, então, sorriu e mexeu em um dos bolsos da saia (?) e tirou um estranho cilindro brilhante

- Aqui! Por 60 Simoleões, eu te vendo Licantropocilina B

- É sério? Sério mesmo?

- Sério!

- Claro que sim! Aqui está!

Papai entregou o dinheiro na mão dela, e pegou a poção. Ele correu aqui pra dentro

- Olha só gente!

- O quê é isso? - perguntou Sophia

- Espero que funcione!

Ele bebeu tudo até o último gole, e, então, começou a brilhar! E a brilhar! E a brilhar! E, quando o brilho já estava forte de mais, ele explodiu em luz, o quê não durou mais do que alguns instantes, antes de tudo voltar ao normal. Meu pai, estava parado com a roupa de frio, na forma símica

- Que bom!

- Pai!

Abraçei ele com toda a força

- Estou curado!

- Bom pra você! - disse o Tio Jay

- WOOOOOO-HOOOOOO!

- Que bom que todos estão bem! - Sophia disse – Vamos logo!

- Pra onde? - perguntei

- Pra cama! Dormir! Estavamos só esperando vocês!

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória