FANDOM


Acho Que Sei
Nome Acho Que Sei
Escrito por AmandaMM
Data de lançamento 5 de Dezembro de 2013
Simsérie 12 Dias para Amar
Classificação Classificação 12 anos 12 anos

Cronologia
Capítulo Anterior Mais Diversão
Próximo Capítulo Não Vou Desistir!
Mudou-se

Propriedade

12 Dias para Amar - Capítulo 6: Acho Que Sei é de propriedade de AmandaMM. A menos que a edição seja construtiva ou de poucos detalhes, peça permissão ao autor para editar a página.


Depois de um tempo, encontro-me jogando xadrez sozinho no segundo andar, Daniel subiu para se arrumar para sair e devo vê-lo descendo essas escadas em breve, é bom que ele saia, meu irmão é muito preso ao seu próprio mundo, muito sozinho no fundo, isso me faz querer ficar, ser a companhia que ele sempre teve.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (01)

Como eu imaginei, ouso passos na escada quinze minutos depois, quando finalmente ouso a voz de Daniel:

- Estou indo, talvez ao cinema e depois lanchar num fast food ou algo assim, se cuide, mano.

Eu ainda concentrado no meu jogo de xadrez respondo:

- Cuide-se também e acima de tudo divirta-se.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (02)

Depois de uns segundos ouso mais passos na outra escada, Daniel já foi e estou sozinho. Esse jogo de xadrez está se tornando envolvente, mesmo quando o jogo sendo meu próprio adversário, trabalhar minha lógica era essencial para meu antigo emprego, aprecio um pouco.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (03)

Meu celular toca por volta de três da tarde, atendo-o rapidamente:

- Alô?

Então responde uma voz feminina que identifico imediatamente como a de Maíra:

- Olá Alberto, liguei apenas para avisar que estou a caminho em breve, certo?

Involuntariamente eu sorrio, sorrio e esqueço de dar uma resposta. Então ouço Maíra falar:

- Alberto?

Eu balanço a cabeça e digo em seguida:

- Sim! Estou a te esperar aqui então, até logo.

Maíra diz:

- Até.

Desligamos. O que está acontecendo aqui afinal? Tomo uma ducha fria e desço para sala, ligo o som na estação Pop, uma de minhas favoritas e sento na sala para esperar a chegada de Maíra.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (04)

Vejo-a surgir perto da porta, lá fora a cumprimento com uma reverência e convido-a a entrar. Lá dentro nos abraçamos como ontem, e novamente aprecio tal contato. Maíra diz em seguida:

- Acho que cheguei meio tarde para um “depois do almoço” não?

Eu rio um pouco e digo:

- Claro que não!

Maíra começa a olhar para o som ligado, balançando a cabeça levemente, depois volta seu olhar a mim e diz:

- Estação Pop não é? É a minha favorita!

Eu sorrio apenas. Ela logo diz com um sorriso extenso no rosto:

- Ei amigo, porque não dançamos? A música pede por isso!

Eu olho para o chão e digo:

- Não sei...

Até que Maíra me puxa para perto e diz:

- Vamos lá, acompanhe-me!

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (05)

Acompanho-a, no inicio meio travado, não costumava dançar muito dessa forma, admito, porém... Olha só... Isso é legal! É divertido! Continuei então, eu vou ficando melhor a cada minuto, mas ainda assim cheguei a errar algumas vezes e levar Maíra a rir timidamente e me incentivar a continuar, fazendo-me como sempre esquecer tudo. Depois de perder a conta de quantas músicas dançamos, chamo Maíra para me ver tocando minha bateria, enquanto eu toco, ela observa silenciosamente até comentar:

- Nossa! Você toca muito bem! Jamais imaginei!

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (06)

Suas palavras me fazem ter vontade tocar mais e melhor, tento arriscar algumas notas mais difíceis e consigo com êxito, Maíra parece que se impressiona com isso e assiste concentrada ao meu “show particular”.

Um tempo depois ela se ausenta, sem falar nada, apenas se retira. Continuo tocando por mais uns minutos até por fim parar, minhas mãos já doem e não agüento mais segurar essas baquetas. Quando Maíra volta está inexplicavelmente em seus trajes formais, vou até ela digo:

- Trajes formais assim do nada?

Maíra ri. Um minuto e ela responde:

- Por que não? Seu bobo!

Ela começa a fazer uma careta, então eu sou o bobo? Quando menos espero somos nos dois fazendo papeis de bobos.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (07)

Em seguida para provocá-la, mudo para meus trajes formais assim como ela. Maíra diz rindo:

- Já chega não?

Eu balanço a cabeça. Em seguida tanto eu quanto Maíra, mudamos para uma postura séria e olhando para os lados, assim sem explicação. Para quebrar o gelo eu digo:

- Tem sanduíches grelhados de queijo aqui em casa, aceitaria?

Maíra diz:

- Com certeza! E obrigada.

Eu sorrio. Descemos as escadas para a cozinha então. Quando lá chegamos, eu preparo tudo e ela fica aguardando silenciosamente perto do som ligado olhando a chuva pelo vidro da porta. Eu então a chamo e sentamos juntos à mesa para comermos.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (08)

Inicialmente em silêncio, depois Maíra puxa um assunto:

- Sua casa é incrível, e você tem razão, há várias distrações por aqui...

Eu digo então:

- Sinta-se a vontade para voltar.

Maíra balança a cabeça. Voltamos ao silêncio, aquele que conhecemos bem. Meu olhar é baixo e minha vontade de comer mais ainda a pesar de ter me alimentado apenas uma vez hoje praticamente. Minha alegria é muita, porém não aparente. E eu não sei onde estou querendo chegar.

Devo puxar assunto também, então eu digo meio baixo:

- Encontrou quem procurava?

Maíra larga o sanduíche no prato de forma curiosa, ela olha fixamente para mim e não consigo decifrar suas expressões, ela diz depois abaixando o olhar:

- Sinceramente, eu não sei.

Eu digo tentando rir:

- Como assim não sabe? Quem sabe para eu perguntar?

Consigo arrancar uma risada daquela carinha triste então, ela diz ainda rindo:

- Você é uma figura!

Eu volto a sorrir, estou feliz a pesar de não parecer tanto, e quero ver tal felicidade aparente em Maíra, afinal ela é minha amiga, a melhor que eu poderia ter numa situação tão critica como a minha. Maíra, porém fica séria e diz:

- Às vezes me sinto meio perdida nessa sociedade, e, quem eu procuro não sei se me procura, entende?

Eu balanço a cabeça. Ela então conclui:

- Românticos Incorrigíveis perderam o espaço nessa sociedade, não acha?

Romântica Incorrigível? Maíra é uma? Eu deveria ter desconfiado... eu então digo:

- Claro que não! Mas que há certa repressão sobre vocês, sim isso eu admito... mas vocês não podem se deixar moldar pelo que os outros acham e querem que sejam. Certo?

Maíra dá uma última mordida em seu sanduíche e depois de uns minutos diz:

- Obrigada Alberto, de verdade, às vezes tudo do que eu preciso são algumas palavras como as ditas por você nesse instante.

Eu sorrio e digo:

- E apenas mais uma coisa...

Maíra olha para mim, então eu digo:

- Tenho certeza de que quem você procura está a sua procura também, dê tempo ao tempo, vocês dois podem estar perdidos.

Maíra sorrir e diz:

- Agradecida.

Maíra recolhe seu prato e direciona-se a pia da cozinha - Céus, sou eu que tenho que fazer isso! - Como o resto do meu sanduíche rapidamente e me aproximo com meu prato em mãos enquanto digo:

- Pare imediatamente senhorita! Visitas não lavam a louça!

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (09)

Ela enquanto insiste em lavar diz:

- Deixe Alberto, o que me custa!

Eu resmungo:

- Isso não está certo!

Maíra termina e depois ri. Quando é a minha vez de lavar meu prato eu passo por Maíra e digo:

- Primeira e última vez, entendido?

Maíra balança a cabeça.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (10)

Quando tudo está pronto, chego a Maíra e digo:

- Então, o que quer fazer agora?

Maíra olha as horas em seu celular e diz:

- São sete e vinte e três.

Acharia melhor ir para casa... eu digo entristecendo um pouco:

- Mas já?

Maíra diz:

- Estou há muito tempo aqui, você sabe, foi muito divertido, mas acho que devemos descansar agora.

Eu balanço a cabeça entendendo e digo em seguida:

- Tudo bem eu... vejo-te depois?

Maíra diz sorrindo:

- Claro que sim!

Abraçamos-nos e acompanho-a até a porta, a longa distancia Maíra diz:

- Boa noite, Alberto.

Eu aceno e digo de volta:

- Boa noite para você também!

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (11)

Depois de outra noite bem dormida, acordo bem disposto para o que posso dizer ser o primeiro dia de verão, consigo sentir de imediato a mudança climática. Assim como que faltam nove dias para minha partida, o tempo passa rápido... ou isso é alguma ironia para mim?

Arrumo-me e desço para cozinha, encontro Daniel indo servir um prato de panquecas e digo:

- Não te vi ontem, o que houve com você?

Daniel diz:

- Cheguei e fui direto para o quarto.

Eu digo:

- Ah, sim...

Eu olho para lixeira e vejo que está cheia pego-a e digo:

- Vou levar esse lixo para fora, Daniel nada diz.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (12)

Quando chego, ouso Daniel dizer de forma risonha:

- Não se esqueça de lavar as mãos!

Enquanto lavo as mãos eu digo:

- Parece até nossa mãe quando éramos crianças!

Daniel ri quase se engasgando, eu digo então:

- Cuidado aí...

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (13)
12 Dias para Amar - Capítulo 6 (14)

Quando eu finalmente sento para comer minhas panquecas Daniel acaba as dele e já anda a lavar seu prato, depois ainda duvida quando digo que ele come muito rápido... depois de terminar essas panquecas e lavar o prato, eu me lembro que todo o verão eu gosto de sair para correr em seu primeiro dia, observar as mudanças nessa minha cidade maravilhosa e é exatamente isso que farei agora.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (15)

Encantado com o verde, cada vez vou mais devagar para conseguir observar tudo com grande admiração - ah, o verão... ele e o inverno são minhas estações favoritas do ano. Continuo a correr, consigo ao fundo ver o mar e as montanhas atrás de tantas árvores altas, ainda corro sem rumo, mas acho que sei de um lugar que me ajudará a colocar minha cabeça no lugar, que me trará lembranças e o ar mais puro que já respirei.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (16)
12 Dias para Amar - Capítulo 6 (17)

Intacto! Eis o lugar que eu frequentava todo o fim de semana com meu padrasto para pescar, uma pequena felicidade a uma criança que via o mundo com brilho nos olhos. Quando no fim das contas ele é tão cinza. Lembro-me de quando Daniel se juntava a nos, pulávamos nesse lago e colocávamos a cabeça abaixo da queda d’água, Johan entrava em desespero quando um de nós demorava demais ao mergulhar.

Nove dias então, me sinto perdido assim como Maíra. Mas ainda não perdi a esperança, depois da conversa que tive com Maíra ontem, o que procuro está próximo, mais do que pensei.

12 Dias para Amar - Capítulo 6 (18)

E aqui com os olhos fixos nessa água cristalina, inalando o mais puro ar, desfrutando de espalhadas sombras e ouvindo os pássaros, a água e os peixes a pular dentro do lago, tento tirar uma conclusão de tudo. O que posso tirar de tudo isso? Acho que sei... Acho que... Eu acho que não conseguirei ver mais a senhorita Mello como minha melhor amiga.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória